Papiloscopia

Indice

 Inicial

 História da Identificação

 Estudo da Pele

 Sistema de Vucetich

 Subtipos

 Tipos Especiais

 Pontos Identificadores

 Sistema Informatizado (AFIS)

 Videos sobre Papiloscopia

 Laudos Papiloscópicos

 Fatos e Fotos

 Impressões Digitais em Cartuchos Deflagrados

 Decisões Judiciárias com a Papiloscopia

 Identificação Papiloscópica Uma Abordagem Científica

 Noticias sobre Papiloscopia


Sistema de classificação de Vucetich

Tipos fundamentais

O sistema de classificação idealizado por Juan Vucetich consiste em quatro tipos fundamentais a saber:

 

Arco (fig. 22): é o datilograma, geralmente adéltico, formado por linhas que atravessam o campo digital, apresentando em sua trajetória formas mais ou menos paralelas e abauladas ou alterações características. É representado pela letra A para os polegares e número 1 para os demais dedos.

Presilha interna (fig. 23): é o datilograma com um delta à direita do observador, apresentando linhas que, partindo da esquerda, curvam-se e voltam ou tendem a voltar ao lado de origem, formando laçadas. É representado pela letra I para os polegares e o número 2 para os demais dedos.

Presilha externa ( fig. 24): é o datilograma com um delta à esquerda do observador, apresentando linhas que, partido da direita, curvam-se e voltam ou tendem a voltar ao lado de origem, formando laçadas. É representado pela letra E para os polegares e o número 3 para os demais dedos.

Verticilo ( fig. 25): é o datilograma com um delta à direita e outro à esquerda do observador, tendo pelo menos uma linha livre e curva à frente de cada delta. É representado pela letra V para os polegares e o número 4 para os demais dedos.

Arquivamento

No sistema de Vucetich, o arquivamento é do tipo decadactilar, ou seja, são utilizadas as impressões dos dez dedos das mãos do indivíduo para a classificação e arquivamento.

Essas impressões são coletadas e dispostas em uma ficha específica (fig. 26) que contém em um dos lados dez campos na seqüência polegar, indicador, médio, anular e mínimo, sendo os cinco da mão direita em cima e os cinco da mão esquerda em baixo tendo para cada um dos dedos três campos na parte superior onde é registrado o tipo fundamental, o sub-tipo e a contagem das linhas de cada dedo respectivamente.

No verso da ficha, é colocado a qualificação do identificado, ou seja, nome, filiação, data de nascimento etc., e a seqüência dos dedos indicador, médio, anular e mínimo de cada uma das mãos, unidos em uma única impressão, bem como a impressão de cada um dos polegares nos locais determinados. Esse procedimento serve para conferir a seqüência das impressões dos dedos coletada no anverso da ficha.

Figura 26: Ficha dactiloscópica.

A disposição das impressões digitais na ficha forma a ID, (individual dactiloscópica) que baseada nos tipos forma uma fração alfanumérica sendo letras para os polegares e números para os demais dedos. Exemplo: V1343 / V2122 (fig.. 27).

O arquivamento das fichas é baseado na fórmula dactiloscópica da ID (individual dactiloscópica) sendo sua distribuição feita da seguinte forma:

Primeira divisão: forma-se 4 grupos independentes de fichas com base no tipo fundamental encontrado no polegar direito. Exemplo: grupo A, grupo I, grupo E , grupo V.

Segunda divisão: dentro de cada grupo, forma-se sub-grupos com base no tipo fundamental do polegar esquerdo. Exemplo:

1º Grupo A - A/A, A/I, A/E, A/V;

2º Grupo I - I/A, I/I, I/E, I/V;

3º Grupo E - E/A, E/I, E/E, E/V e

4º Grupo V - V/A, V/I, V/E, V/V.

Terceira divisão: dentro de cada subgrupo segue-se a ordem crescente da fração numérica formada pelos tipos dos dedos, indicador, médio, anular e mínimo. Exemplo:

1º- 1111/1111, 2º-1111/1112 , 3º-1111/1113, 4º-1111/1114, 5º-1111/1121, 6º-1111/1122, ... .....256º- 1111 / 4444, 257º- 1112 / 1111, 258º- 1112 / 1112, ..............65.536º- 4444 / 4444.

Por exemplo, uma ficha dactiloscópica com a seguinte fórmula V3321 / I4233:

Coloca-se a ficha no grupo V (arquivo destinado às fichas que possuem impressão digital do tipo verticilo no polegar direito);

Dentro deste grupo V, coloca-se a ficha no sub-grupo I (posição destinada às fichas que possuem impressão digital do tipo presilha interna no polegar esquerdo) e;

Figura 28: Desenho representando um arquivo decadactilar e a localização de uma ficha.

Finalmente, dentro do sub-grupo I, coloca-se a ficha na posição correspondente à fração numérica 3321/4233 que estará entre os extremos 1111/1111 e 4444/4444 (fig. 28).

Com este sistema de arquivamento, formamos 4 grupos com os polegares direito, contendo 4 subgrupos de polegares esquerdos em cada grupo e 65.536 combinações numéricas formadas pelos demais dedos para cada subgrupo, perfazendo um total de 1.048.576 combinações possíveis.